Número total de visualizações de página

quarta-feira, 26 de março de 2014

OS PRIMEIROS DE 2014

Depois de um inicio atribulado e já com alguma tristeza, e descrença, eis que a minha dedicação me fez sorrir e comecei a anilhar, estes são os primeiros...






O PROBLEMA DOS FUNGOS

Iniciei a preparação das minhas aves em Janeiro, como tinha sido hábito e normal no meu canaril.
Depois de todos os tratamentos feitos iniciei as criações em Fevereiro, e este ano decidi, porque achei diferente meter materiais para os ninhos da FABER SISAL, mas desta vez uma versão que tinha na sua composição uns musgos naturais, achei que seria interessante os passaros sentirem um material natural.
Uma sexta à tarde cheguei ao canaril, dado a minha vida profissional me permitir apenas ver os passaros demanhã e ao fim do dia, e deparei-me com um macho morto, sem razão aparente, como ainda tinha alguns de reserva, não me parecia dramático.
No sábado demanhã, vi uma fêmea no fundo da gaiola, uma das que tinha já iniciado a postura, fiquei apreensivo e preocupado.
Entretanto na parte da tarde mais 2 femeas tinham o mesmo sintoma, e aliado a isso a respiração era acelarada e com dificuldades, ai já entrei em pânico, pois as femeas que tinham começado a postura estavam lentamente a ficar afectadas, liguei ao Jorge Mano, a explicar-lhe o sucedido, e decidi dar-lhe Micoresp.
No dia seguinte a femea estava morta e as outras apresentavam um quadro muito semelhante à primeira, depois de uma conversa com um criador de seu nome João Magarreiro, que me aconselhou a mandar autopsiar uma das aves, numa clinica veterinária, antes de proceder a quaisquer tratamentos.
Depois de várias pesquisas consegui chegar à Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa, que tambem fazem autópsias a animais.
Na segunda feira demanhã troxe uma das femeas que tinha morrido nessa manhã e desloquei-me de imediato à Faculdade. Depois de uma conversa com uma Professora Drª, Chefe do departamento, ela ficou-me de dizer qual a causa da morte dos canários, mas numa primeira análise dir-me-ia só se a causa era bacteriana ou fungica.
Na parte da tarde recebi um telefonema a dizer-me que as minhas femeas tinham morrido por FUNGO ASPERGILLUS, ou seja uma aspergilose.
Este fungo desenvolve placas brancas nos pulmões que os leva à morte, devido a insuficiências respiratórias.
Depois de muitas leituras, e de interpretação dos factos cheguei à conclusão que os meus passaros que estiveram em contacto com os mugos (que é um fungo), e que já tinham o ninho feito padeciam desse problema.
Removi todo o material dos ninhos, desinfectei o canaril todo com virocid, que é um antifunfico, fiz este procedimento todos os dias da semana.
E decidi fazer um tratamento a todas as aves com ITRACONAZOL capsulas, durante 2 semanas.
Consegui resolver o problema, mas isto custou-me 6 fêmeas e 2 machos.
Tive de refazer tudo e com a boa vontade de um grande criador e amigo JORGE MANO, que me dispensou 2 fêmeas e mais 2 que tinha de reserva consegui ganhar animo novamente e reiniciar tudo do zero.
Neste momento já tenho vida nova no canaril.
Sempre que tiverem algum problema não entrem em pânico e mediquem sem saber o que se passa, os antibioticos aceleram o crescimento dos fungos, a FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA, por 4 euros dá uma grande ajuda.
Este é o resultado de uma Aspergilose.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

BALANÇO DAS CRIAÇÕES DE 2013

Novamente de volta e porque os problemas informáticos persistiram em não me largar, e o tempo também não era muito, vou agora fazer um balanço à minha criação de 2013.
A primeira postura correu com normalidade com alguns (poucos) machos que não galaram, umas femeas que não agarraram no choco, mas no geral não foi mau.
O problema veio depois, e sinceramente nunca pensei que me acontecesse, mas aconteceu e eu estava mal preparado para  resolver o problema.
O que me aconteceu foi PONTO NEGRO em quase todas as ninhadas...... PÂNICO e agora que fazer....
Depois de várias leituras e aconselhamentos com o meu guru (Jorge Mano), decidi parar as criações e iniciar um tratamento aos reprodutores com panfungol e com uma dose de micostatin 3 dias antes de nascer e 3 dias depois da eclosão, e parece que consegui resolver o problema, e depois disso todas as outras posturas foi o credo na boca e o micostatin nos bebedouros e resultou, consegui tirar e anilhar cerca de 100 pássaros, a avaliação deles fica para os juízes de pelo menos algumas exposições.

 

domingo, 24 de março de 2013

PORQUÊ ARLEQUINS

Cada vez mais me convenço que criar canários para mim é mais que um hobbie, é uma paixão.
Consegui chegar a este estado pelo facto de à cerca de 3 anos me dedicar, única e exclusivamente a uma raça,. este facto leva a que a minha concentração e atenção se foque apenas nesta.
E porquê o Arlequim Português.
Poderia estar aqui a desfazer-me em elogios que provalmente não conseguiria atingir com palavras aquilo que sinto.
Mas vou deixar aqui algumas razões pela qual esta raça cada vez mais me fascina.
A primeira, e que esta raça foi criada por alguns dos criadores nacionais mais carolas, que asseguraram a sua criação e a sua homologação.
A segunda é que, esta ave estando dentro dos parâmetros definidos ou seja no stam, tem uma beleza excepcional.
A terceira e para mim mais aliciante é a criação destas aves e a expectativa com que ficamos para o nascimento dos filhos e conseguir perceber que tipo de aves estão presentes na ninhada, pois, nesta raça é mais ou menos perceptível à nascença como vão ser as crias, se forem melanicas, estas nascem com uns tons escuros, se forem mais lipócromio nascem com um tom de pele clarinho, e se forem o que nós criadores procuramos variegadas, são logo à nascença identificados os tons escuros numa pele clara ou seja são malhados, o que os tornará no futuro um Arlequim de topo.
Por tudo isto e mais outras características que não vale a pena escalpelizar, no meu entender é uma ave que satisfaz até os mais reticentes.
Mais umas fotos das minhas ninhadas, o que eu procuro é ter ninhadas com um maior de aves variegadas.......







sábado, 9 de março de 2013

OS PRIMEIROS DE 2013

Depois do inicio das postura, começo a ter alguma ansiedade até ao 6º dia para ver como estão os ovos.
Nesta minha primeira postura houve 2 casais que o macho não galou o que me deixou logo apreensivo, mas isso tb acontece, nem tudo corre como desejamos. Mas no geral não me parece que tenha sido mau de todo.
Depois das crias nascerem é a ansiedade em saber se as mães novas alimentam os filhotes, porque os casais antigos esses já sei como se comportam, mas pelos visto está tudo normal.
Nos primeiros dias na ultima vistoria do dia forneci-lhe uma palitada, às crias que apresentavam o papo mais vazio, e também aqueles que mesmo com alimento abriam o bico.
Assim sendo vou deixar umas fotos das 1ªas crias deste ano.




A felicidade não é só minha, o Afonso delira a ver os pequeninos.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

A AZAFAMA DA CRIAÇÃO

Findo o tratamento dos meus reprodutores, eis que chega o dia de colocar os ninhos, mas antes disso acontecer, volto a meter uma gota de pulmosan (Ivomectacina a 1,2%) em cada um dos reprodutores.
No meu caso as minhas gaiolas de criação são baterias de PVC (feitas por mim), com as seguintes dimensões  60X35X40 cm, onde coloco o ninho no interior. Eu uso ninhos plásticos, pondo no seu interior um forro de sisal, nesse forro eu coloco um pouco de caniaves para prevenção e para não ter nenhum dissabor com o piolho.
Vou Postar aqui umas fotos tiradas ontem 2 dias depois de ter colocado os ninhos.




domingo, 27 de janeiro de 2013

AMIGOS E CRIADORES....... O COMANDANTE

Neste Blogue, vou escrever sobre canários, mais precisamente sobre os meus, e os métodos que eu utilizo.
Mas para isso seria injusto da minha parte não falar de alguns criadores que tive o prazer de privar e que muito aprendi com eles na minha iniciação e que ainda hoje aprendo neste Mundo dos canários.
Começo por falar num criador que conheci em 2009 nas terras do Cadaval, criador conceituado, de seu nome, José Vaz, foi em casa deste criador que vi o primeiro Canaril digno desse nome, aprendi muito com ele, desde raças, tratamentos e criação propriamente dita. 
Por indicação fui a casa de um vizinho que na altura também tinha gloster, foi ai que tive o primeiro contacto com um grande Homem e grande Criador o meu amigo JORGE MANO (Comandante).
Serve este artigo para de alguma forma mostrar o meu apreço a minha consideração e o meu carinho por este criador.
Falar do Sr. Jorge Mano é falar de um dos melhores criadores deste País.
Quem tem o prazer de privar com ele reconhece-lhe uma serie de qualidades, que pôs ao serviço da ornitologia nacional, sendo um dos responsáveis pela raça, que hoje orgulha um grande numero de criadores Nacionais, o canário ARLEQUIM PORTUGUÊS.
A maneira como ele trata as suas aves desde logo me despertou um fascínio por ele, eu nunca tinha visto alguém a falar e a beijar aves como vi o Comandante, essa característica hoje também a cultivo.
Uma capacidade de perceber e entender este hobbie acima da média, fazem dele um Campeão com provas dadas, e com mais, muito mais ainda para dar.
Sendo seu apanágio, um talento natural e uma vontade de ensinar e transmitir conhecimentos.
É sem duvida um bom ouvinte, que não demonstra superioridade em relação aos demais, integro no seus princípios, e defensor das suas ideias, sem por isso  nunca se fazer rogado a ouvir outras opiniões.
Por tudo isto e mais que ainda está para vir, JORGE MANO, este é o meu reconhecimento publico ás suas virtudes enquanto HOMEM e criador.


Desde já o meu muito obrigado por tudo que me ensinou.